Dieta e Acne

compartilhar:
o autor

Formada pela UNIFESP, com título de especialista em Dermatologia e membro da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) e da AAD (American Academy of Dermatology), a Dra Érica Monteiro escreve regularmente para o Dermatologia.
informações de contato da Dra. Érica Monteiro

Recebo inúmeras perguntas sobre alimentação e acne. A verdade é que ela existe, ams não é possível penalizar um único ou algum pequeno grupo de alimentos. A interação entre dieta e acne é complexa e , no momento, não é possível tratar a acne apenas com dieta.

Leia mais sobre o assunto aqui:

 

Dieta e acne

A percepção dos pacientes com relação a piora
da acne relacionada a ingestão de certos alimentos é antiga e frequente nos
consultórios de Dermatologia. As revisões publicadas até 2005 não mostravam uma
relação conclusiva. A partir de 2009 revisões avaliaram as publicações
existentes na literatura com relação a dieta e o aparecimento da acne e também
quanto ao consumo de laticínios e de alimentos com alto índice glicêmico no
aumento do risco para acne. Estudos foram inconclusivos ao demonstrar a
associação entre a acne e outros alimentos, como chocolate e sal24-32.

Alimentos derivados do leite
Estudos sobre as migrações
demonstraram que nas populações que ocidentalizaram sua dieta (tanto por
reassentamento como por mudança cultural) a prevalência de acne aumentou. Essa
tendência foi observada nas populações Canadian Inuit (33) que aumentaram seu
consumo de refrigerantes, carne bovina, derivados do leite e comida processada,
assim como nos japoneses Okinawan (34) que diminuíram sua ingestão de amido e
aumentaram sua ingestão de produtos com origem animal.

Autores de um
grande estudo caso-controle (35) avaliaram a associação entre leite e acne na
dieta de adolescentes. Entre os participantes que foram diagnosticados como acne
grave estavam adolescentes com altos níveis de ingestão total de leite (maior
que três copos por dia) que relataram ter acne com maior frequência quando
comparado com indivíduos com baixo nível de ingestão (menos de um copo de leite
por semana). Essa associação foi forte (um aumento de 44%) para ingestão de
leite desnatado, sugerindo que o conteúdo de gordura não foi o determinante
fator para risco de acne. Pesquisadores supuseram que os hormônios contidos no
leite desempenham um papel de risco na acne.

Um estudo de 2005 mostrou
que os componentes do leite, exceto os lipídios, têm a capacidade de estimular a
liberação de insulina38. A insulina estimula o IGF-1 (fator de crescimento com
ação semelhante à insulina 1) que, por sua vez, aumenta a testosterona e diminui
a produção de globulina ligadora de hormônio sexual (SHBG). Outros estudos
observaram uma correlação positiva entre níveis de IGF-1 e acne39,40.

Alimentos com altos índices glicídicos.
Autores de
dois grandes estudos em Papua Nova Guiné (n = 1.200) e no Paraguai (n = 115)41
não encontraram casos de acne na sua população. Os pesquisadores especularam que
a população rural com dieta baixa em gorduras e com baixo índice glicêmico
poderiam ser a razão da ausência de acne nesses grupos.

Autores de um
estudo randomizado controlado 42 examinaram os efeitos de uma dieta com baixos
níveis glicêmicos e observaram melhora no número de lesões, quando comparados ao
grupo-controle.

Gorduras e ácidos graxos
Embora não existam
publicações, grandes estudos controlados que examinaram o efeito do consumo da
gordura e dos e dos ácidos graxos e o risco de acne, os ácidos graxos ômega-6
são pró-inflamatórios e seus mediadores pró-inflamatórios foram associados com
acne (47). Em contraste, os ácidos graxos ômega-3 têm propriedades
anti-inflamatórias (48) e podem estar associados com diminuição do risco de acne
pela diminuição dos níveis de IGF-1 e da inflamação folicular. Tipicamente as
dietas ocidentais têm uma baixa taxa da relação entre ômega-3 e ômega-6, quando
comparada com dietas observadas em sociedades não industrializadas49.

Chocolate
O estudo de Grant e cols. examinou o efeito da
ingestão de chocolate na acne, 65 participantes consumiram diariamente 112 g de
barras de chocolate enriquecidas com cacau por quatro meses. Pesquisadores
compararam os resultados com o mesmo grupo que consumiu barras de chocolate sem
enriquecimento de cacau e não acharam diferença significativa entre os grupos50.
De modo semelhante, outros estudos com intervenções não mostraram efeitos do
chocolate na acne51. No entanto, esses estudos não tiveram grupo-controle e os
resultados não foram quantificados.

Considerações finais sobre a
dieta

Estudos populacionais e de migração sugeriram uma correlação entre
dieta e acne. Estudos observacionais grandes, controlados, demonstraram que
dietas altas em produtos derivados do leite estão associadas com um aumento no
risco para aparecimento e gravidade da acne. Os pesquisadores encontraram
associações significativas entre todas as variedades de leite de vaca e acne. A
relação entre leite e a gravidade da acne pode ser explicada pela presença dos
hormônios esteroides reprodutivos normal ou a produção aumentada de hormônios
como o IGF-1, que pode aumentar a exposição de andrógeno e, deste modo, o risco
de acne.

Nenhum estudo estabeleceu uma associação positiva entre acne e
chocolate, gordura saturada, ou consumo de sal.

Pensando na associação
entre dieta e acne, tem-se utilizado a metformina como coadjuvante no tratamento
de alguns casos de acne. Trata-se de um sensibilizador da ação da insulina e um
normoglicemiante. Age em pacientes com resistência periférica à insulina, mesmo
naquelas que não são obesas. A dose diária varia de 500 mg a 1,5 g. Há
apresentações de uso em doses fracionadas ou dose única. Pode ser associada
tanto aos anticoncepcionais como à espironolactona.

Referências

1- Monteiro EO. Tópicos, sistêmicos e outros tratamentos para
acne.

 

http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=4836

 

Dra. Érica Monteiro

o autor

Formada pela UNIFESP, com título de especialista em Dermatologia e membro da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) e da AAD (American Academy of Dermatology), a Dra Érica Monteiro escreve regularmente para o Dermatologia.
informações de contato da Dra. Érica Monteiro

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.